Um estudo realizado pela empresa de segurança e privacidade digital F-Secure revela que mais de 70% das empresas estão vulneráveis a ataques cibernéticos por utilizarem versões desatualizadas de softwares. Um alerta recente do United States Computer Emergency Readiness indica que até 85% de todos os ataques cibernéticos poderiam ser evitados se os softwares estivessem com as atualizações em dia e medidas de segurança simples fossem aplicadas.

Apesar dos diversos alertas, de acordo com os autores do estudo, muitas empresas ainda continuam a negligenciar o perigo que correm. Um outro dado fornecido pela F-Secure mostra que apenas 27% das companhias possuem uma solução para gestão de correções. Na França, onde o problema foi particularmente evidente, somente 15% dos entrevistados pela pesquisa afirmaram que seus negócios teriam uma ferramenta de gestão de atualizações de programas.

O levantamento também mostra que 46% das empresas nórdicas detinham uma solução para a gestão de patches. Isso proporciona para as empresas uma proteção em maior grau para seus ativos contra ameaças projetadas para tirar vantagem de vulnerabilidades de softwares.


Com os recursos tecnológicos certos, a avalanche de dados pode se tornar uma bela onda que levará sua empresa à simplificação

Tudo o que tocamos, dizemos e fazemos gera dados. No entanto, esses dados não se criam por si só. Pelo contrário, são uma representação de muitas conexões complexas entre pessoas, dispositivos e empresas.

À medida que usamos a tecnologia e contribuímos para esse oceano de dados, a Internet das Coisas (IoT) começa a assumir um papel mais central na evolução do comércio e da sociedade. O Gartner prevê que o número de dispositivos conectados à IoT aumentará cerca de 30 vezes em pouco mais de uma década. Como resultado, tudo – empresas, processos, dados e coisas – estará conectado em rede.

A digitalização das conexões em tempo real é o cenário da economia digital. Ela está mudando a forma como compramos e vendemos. Na verdade, ela está simplificando tudo: o mercado, as relações de negócios, as empresas. Ela permite que as empresas executem tudo com mais facilidade, agilidade e menos recursos.

Essa tendência mudará significativamente nossas vidas. A IoT vai revolucionar a maneira como podemos trabalhar, viver e nos divertir, além de transformar o modo como as empresas conduzem seus negócios e competem. A inteligência embarcada em uma rede crescente de dispositivos hiperconectados vai cada vez mais conectar pessoas e empresas a todo o resto – e se tornar o tecido de uma economia digital.

Na economia digital, as empresas podem desencadear modos de visão, inovação e alinhamento sem precedentes. Talentos podem ser empregados de forma mais flexível, e os responsáveis pelas decisões podem encontrar as ferramentas e informações de que necessitam para melhor atender seus clientes e atingir os resultados de negócios desejados.

Redes de máquinas conectam sensores, componentes, equipamentos e atividades que permitem às empresas capturar dados do mercado, reduzir riscos operacionais, encontrar cadeias de suprimentos ágeis e proporcionar aos clientes experiência inigualáveis. Ao automatizar a coleta de dados e as operações, as empresas podem gerenciar processos remotos, monitorar tendências e alcançar novos níveis de vantagem competitiva.

Mas a sua empresa está preparada para se transformar e se dar bem na Economia Digital? A maior barreira para transformação digital é a complexidade. Menos de 1% dos dados de hoje está sendo transformado em benefícios para os negócios.

Segundo um estudo da Escola de Negócios John M. Olin, da Universidade de Washington, 40% das empresas listadas no índice S&P 500 desaparecerão na próxima década por não acompanhar as evoluções tecnológicas. Esse indicador de valor de mercado feito pela consultoria financeira Standard & Poors inclui 500 ações de empresas escolhidas de acordo com o seu setor, liquidez e tamanho.

O fundamental para tirar proveito da economia digital é a velocidade na obtenção das informações certas no momento certo. Essa era de hiperconectividade sem precedentes exige uma empresa que opera seu negócio e processos em tempo real, que utiliza dados dinâmicos para tomar decisões instantaneamente.

Há uma janela de oportunidade para as empresas desenvolverem vantagens competitivas sustentáveis com os milhares de dados disponíveis. Ao aplicar o poder da computação em tempo real, as empresas estarão prontas para tomarem melhores decisões de negócio.

Com novas tecnologias, as empresas podem reinventar o seu modelo de negócio, simplificando a colaboração para conectar pessoas, dispositivos e redes de negócios em tempo real. Adote a segmentação de alta precisão, o marketing social, cadeias de suprimentos orientadas pela demanda, um planejamento mais inteligente dos negócios com programação em tempo real e simulações, e uma gestão proativa de riscos com poderoso reconhecimento de padrões.

A cidade de Buenos Aires também está tirando benefícios de tecnologias para ser mais eficiente. Ela sofre com inundações terríveis na temporada de chuvas, que ocasionam grandes perdas materiais e, ainda pior, de vidas humanas. Hoje, com o uso de tecnologia de análise de dados em tempo real, o governo da cidade pode monitorar o sistema de saneamento das zonas mais sensíveis da cidade e saber, em tempo real, quais estão bloqueadas e quais necessitam de manutenção para providenciar suporte técnico. O resultado? 

Ruas mais limpas, nenhuma inundação e cidadãos mais seguros e felizes. Com os recursos tecnológicos certos, a avalanche de dados da economia digital pode se tornar uma bela onda que levará sua empresa ao auge da sofisticação: a simplificação.

Os negócios continuarão se transformando. A única forma de ingressar no próximo nível de competitividade é manter continuamente o espírito inovador. E, para isso, a receita é simplificar tudo para poder conseguir mais.

*Orlando Cintra é vice-presidente Sênior de Tecnologia e Inovação da SAP Brasil.

Fonte: ComputerWorld

Estudo da consultoria mostra que subiu de 22% para 32% o número de gestores de empresas de mais de US$ 250 milhões que lidam com projetos digitais

O Gartner, Inc., empresa global de pesquisa e consultoria sobre tecnologia, aponta que a economia digital está de fato crescendo entre as empresas do mercado global. Segundo estudo da companhia, o número de líderes de empresas com receita igual ou superior a US$ 250 milhões que gerenciam negócios digitais cresceu de 22% em 2014 para 32% em 2015.

Para o estudo Digital Business 2015 foram entrevistados 304 executivos de empresas dos Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e Austrália, entre maio e junho de 2015. O objetivo foi compreender como companhias e instituições captam, identificam e exploram as novas oportunidades que os negócios digitais oferecem.

Os investimentos em negócios digitais serão discutidos no Symposium/ITxpo 2015, o maior e mais importante evento mundial do Gartner para CIOs e executivos de tecnologia, cuja edição brasileira acontece de 19 a 22 de outubro em São Paulo.

O cenário no horizonte apresenta grandes desafios. Saiba como gerenciar sua loja virtual para não sentir a crise nos rendimentos

Guiado por uma onda de recessão desenfreada, o Brasil segue rumo a uma estagnação ainda maior na economia. Nos últimos onze meses, o Banco Central promoveu sete altas seguidas na taxa básica de juros da economia brasileira, chegando a 14,25% ao ano - o maior patamar em nove anos.

No final do mês de maio, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a economia brasileira registrou queda de 0,2% no primeiro trimestre de 2015, puxada pelo desempenho negativo do setor de serviços e da indústria, bem como pelo recuo do consumo das famílias e dos investimentos.

Spassu patrocina Fórum Internacional de Criatividade e Inovação em VitóriaVitória será a capital da criatividade nos dias 22 a 24 de setembro. A cidade vai sediar o Fórum Internacional de Criatividade e Inovação, reunindo grandes nomes.

Página 73 de 74